© 2023 by Sphere Construction. Proudly created with Wix.com

 

Acessos:

Site em desenvolvimento (ainda não adequado para celulares). Clique em CONTATO e envie seus comentários!

SAD 2017

REGIMENTO INTERNO

TÍTULO I - DA ASSOCIAÇÃO

 

Art. 1 - A Associação dos Ex-Alunos da Escola  de  Engenharia  da  Universidade  Federal  de  Minas Gerais (AEAEEUFMG) é regida pelo seu ESTATUTO e pelo presente REGIMENTO INTERNO.

 

Art. 2 - A Associação funcionará em sua sede, à Rua da Bahia 52, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

 

TITULO II - DA DIRETORIA

 

Art. 3 - As decisões das reuniões da Diretoria são aprovadas pela maioria dos Diretores presentes, cabendo ao seu Presidente o voto de Minerva.

 

Art. 4 - Qualquer membro poderá pedir licença até 60 dias, prorrogável  uma  vez  por  igual período, a ser julgada pela Diretoria.

 

Art. 5 - 0 Diretor que faltar a dez reuniões consecutivas, justificadamente ou não, perderá o seu mandato.

 

§ único - Não será faltoso o Diretor que se ausentar do País para cursos e/ou trabalhos  técnicos

             no exterior, devendo,  contudo,  apresentar  à  Diretoria comprovação, por  escrito,  das

             finalidades de sua viagem.

 

Art. 6 - 0 Diretor, ao apresentar o nome para completar um mandato vago,  deverá  anexar  à indicação  o currículo do sócio indicado para apreciação da Diretoria que, por maioria simples dos votos, aceitará ou não a indicação.

 

§ l - No caso de apresentação de mais de um candidato para  o  mesmo  cargo,  será  nomeado

       o candidato que obtiver a maioria simples dos votos, em votação secreta.

§ 2 - No caso de haver mais  de  dois  candidatos  e  não  havendo maioria simples, haverá nova

       votação entre os dois mais votados.

 

Art. 7 - 0 Balanço anual, a Previsão Orçamentaria para o Exercício  seguinte  e  o  Relatório  de Atividades serão apreciados, discutidos e aprovados pela Diretoria, antes que o Presidente  os encaminhe  ao Conselho Deliberativo.

Art. 8 - A Diretoria apreciará o Plano de Trabalho e a  Previsão  de  gastos  apresentados  pelo Presidente antes que este os encaminhe ao Conselho Deliberativo.

Art. 9 - Os livros e aparelhos pertencentes à Associação  ou  ao  Centro  da  Memória  da  Engenharia não poderão ser emprestados.

§ único - A Associação permitirá a consulta de livros da Biblioteca e exame dos aparelhos, em sua

             sede, por pessoas credenciadas por qualquer dos Diretores.

 

Art. 10 - A  Diretoria,   ao   propor   nomes   para   admissão   de   sócios   Honorários,   Beneméritos ou Correspondentes, deverá anexar os respectivos currículos.

TITULO III - DA ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVA

Art. 11 - Além das atribuições estatutárias compete ao Presidente da Diretoria:

a) providenciar o balanço econômico-financeiro e o relatório das atividades do exercício anterior    a serem enviados á Diretoria até 31 de março, do exercício subsequente;

b) providenciar o plano de trabalho e a previsão do seu custo para o próximo exercício,  a  serem

    apresentados à Diretoria até o dia 30 de novembro;

c) determinar tarefas executivas aos membros da Diretoria;

d) controlar o desenvolvimento do plano de trabalho aprovado pela Diretoria;

e) apresentar à Diretoria a minuta de convênio a ser assinado;

f) propor à Diretoria modificações no Regimento Interno;

g) conceder aos Diretores as licenças de 60 dias.

 

Art. 12 - Além das atribuições estatutárias, cabe ao Secretário Executivo:

 

a) preparar o Edital de Convocação das Assembleias;

b) receber e protocolar as chapas para as eleições;

c) tomar as providências necessárias para a realização das eleições.

TITULO IV - DO CONSELHO DELIBERATIVO

Art. 13 - Além das atribuições estatutárias cabe ao Conselho Deliberativo:

a) propor à Diretoria modificações no plano de trabalho;

b) colaborar com o Presidente da Diretoria na obtenção de recursos financeiros;

e) referendar a escolha do substituto para complementação de mandato na Diretoria;

d) apreciar os recursos que lhe forem submetidos.

TITULO V - DO CONSELHO FISCAL

Art. 14 - O Conselho Fiscal é constituído por 3 (três) membros  e  seus  suplentes,  todos  sócios efetivos, eleitos em Assembleia Geral, cumprindo igual mandato da Diretoria e do Conselho Deliberativo.

 

Art. 15 - São atribuições do Conselho Fiscal:

 

a) examinar os relatórios e os balancetes apresentados pelo Diretor Tesoureiro à Diretoria;

b) fiscalizar os  atos  da  Diretoria  na  área  financeira  e  solicitar,  sempre  que  necessário,  as

    informações que julgar convenientes ao desempenho de suas atribuições;

c) examinar e opinar sobre o balanço econômico-financeiro anual, encaminhando o  seu  parecer

   à Diretoria.

§ 1 - Não poderão fazer  parte  do  Conselho  Fiscal  os  associados  parentes  dos  membros  da

       Diretoria e do Conselho Deliberativo.

§ 2 - 0 Diretor Tesoureiro tem direito  a  voz  sem  direito  a  voto,  no  exame  e  discussão dos

       balancetes e do balanço econômico-financeiro anual.

TITULO VI - DOS SERVIDORES

Art. 16 - Servidor é a pessoa legalmente contratada pelo Presidente da Diretoria.

Art. 17 - O servidor será admitido no Regime de Trabalho regido pela CLT.

Art. 18 - Ao ser admitido o servidor ficará sujeito a  um  estágio  experimental  de,  no  máximo  90 dias, destinado à avaliação de seu desempenho.

Art. 19 - A escala de férias e o horário de trabalho serão estabelecidos pelo Presidente da Diretoria.

TITULO VII - DAS OBRIGAÇÕES DOS SERVIDORES

Art. 20 - São deveres do servidor da Associação:

a) exercer com zelo e dedicação as suas atribuições;

b) observar as normas estatutárias e o presente regimento;

c) cumprir as ordens de seus superiores;

d) zelar pela economia do material e conservação do património;

e) guardar sigilo a respeito dos assuntos da Associação;

f) manter conduta compatível com o código moral;

g) tratar com urbanidade os componentes da Diretoria, Associados, visitantes e  seus  colegas de

   trabalho.

 

TITULO VIII - DAS PROIBIÇÕES

 

Art. 21 - É vedado ao servidor:

 

a) ausentar-se do serviço durante o expediente, sem a prévia autorização do chefe imediato;

b) opor resistência injustificada ao andamento ou execução do serviço;

c) promover manifestações de desapreço no recinto da Associação;

d) entregar à pessoa  estranha  à  Associação,  o  desempenho  de  atividades  que  seja  de sua

    responsabilidade, sem autorização superior:

e) receber propina, comissão, presente ou vantagens  de  qualquer  espécie  em  razão  de  suas

   atribuições;

f) praticar usura sob qualquer de suas formas;

g) utilizar pessoal, recursos e materiais da Associação em serviços e atividades particulares;

h) participar de greve ou outras manifestações de funcionários da Escola de Engenharia da UFMG.

 

TITULO IX - DAS PENALIDADES

 

Art. 22 - O servidor que praticar atos de desobediência, ilícitos, contrários à moral, à ética ou aos objetivos da Associação será punido, de acordo com a legislação, com:

a) advertência oral;

b) advertência escrita;

c) suspensão;

d) demissão.

§ 1 - Na aplicação das penalidades disciplinares serão consideradas a  natureza,  a  gravidade  da

       infração cometida, as circunstâncias agravantes, atenuantes e os antecedentes funcionais.

§ 2 - As penalidades disciplinares serão impostas pelo Presidente da Diretoria.

 

TITILO X - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

 

Art. 23 - Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria.

 

Art. 24 - Os membros eleitos para o primeiro Conselho Fiscal terão seus  mandatos  coincidentes com os dos atuais Diretores.

 

 

 

Este Regimento foi aprovado na Reunião da Diretoria do dia 30 de Junho de 1998.